segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Diferenças e semelhanças entre mito e filosofia

Fonte Imagem: filoparanavai.blogspot.com 


DIFERENÇAS:
O pensamento filosófico é questionador, representa uma ruptura quanto à atitude diante do saber recebido – o mito é uma narrativa cujo conteúdo não se questiona.

A filosofia problematiza, convidando a discussão

A inteligibilidade na filosofia é procurada - no mito é dada.

A filosofia rejeita o sobrenatural, recorre a argumentos – o mito cultua-o.

SEMELHANÇAS:
O pensamento filosófico nascente ainda apresenta vinculações com o mito, quando relaciona a “ordem do mundo derivada de forças opostas que se equilibram reciprocamente, e a união dos opostos explica os fenômenos meteóricos, as estações do ano, o nascimento e a morte de tudo que vive” Existe aí uma continuidade no uso comum de certas estruturas de explicação dos fenômenos.

O aparecimento da filosofia é um fato histórico enraizado no passado, ou seja, em nossas origens (mito).

A produção literária – As grandes tragédias cujo conteúdo foram retirados dos mitos, porém o destino é questionado, ainda que no final a vontade dos deuses acabe se cumprindo. Esse questionamento nos remete à filosofia.

Trabalho apresentado a disciplina de Filosofia, 2º período, como atividade avaliativa.

O Presidente Lula - mito


Sua história se confunde com a de muitos brasileiros: fome, pobreza, abandono do pai, criado pela mãe que para ele é uma heroína, um verdadeiro exemplo de mulher a ser seguido.

Perda da infância pois aos 12 anos já precisa trabalhar para ajudar nas despesas, exercendo sempre profissões de baixa escolaridade, até conseguir um emprego numa metalúrgica onde perde o seu famoso dedo mínimo.

Torna-se operário em São Bernardo do Campo e filia-se ao Sindicato dos Metalúrgicos o que lhe projetou para criar o partido dos trabalhadores que contribuiu para sua projeção nacional.

Em 1981 Lula foi preso por 20 dias no DOPS paulista quando o sindicato dos metalúrgicos sofreu intervenção.

Lula foi eleito para diversos cargos no legislativo e participou ativamente da campanha das Diretas Já. A partir do início da década de 1990 decide sair do Legislativo e intensificar suas atividades pelo partido, colaborando a estruturar as seções regionais do PT. Sua participação neste processo é que o tornou uma figura essencial, simbólica e incontestável dentro do partido, mesmo depois de suas sucessivas derrotas eleitorais.

Apesar da sua derrota para Fernando Collor, a liderança de Lula no PT permaneceu incontestável, assim como seu prestígio internacional, expresso no fato de que ele surgiu em pé de igualdade com Fidel Castro quando da fundação do Foro de São Paulo.

Lula candidatou-se ao cargo de Presidente da República por 5 vezes, e em 27 de outubro de 2002, foi eleito Presidente do Brasil. No seu discurso de posse, afirmou: "E eu, que durante tantas vezes fui acusado de não ter um diploma superior, ganho o meu primeiro diploma, o diploma de Presidente da República do meu país." Como tantos brasileiros seu diploma, antes, era o da universidade da vida. A comunidade internacional estava em pânico, porém como bom brasileiro seu interesse maior era colocar o Brasil entre um dos melhores países do planeta terra.
Fez muita gente ter que engolir a seco, todas as grosserias que falavam sobre ele, xingamentos por não ser letrado, e talvez, por todos esses sofrimentos que ele pode ter a humildade de reconhecer que precisava se apoiar em pessoas que detinham o conhecimento técnico e aprender com eles e, assim, pode surpreender e fazer um excelente governo, que apesar das críticas internas, feitas pelos intelectuais que se viram humilhados por aquele metalúrgico cuja estrela brilha mais do que a deles, está a cada dia sendo reverenciado pelos brasileiros das mais diversas classes sociais e pelos povos estrangeiros.

Passado o medo da sua primeira eleição Lula é reconhecido como o Presidente que a população brasileira precisava e é reeleito, dessa vez a comunidade internacional já o “ama” segundo o Jornal britânico "Financial Times".
Segundo a “Revista Forbes” Lula está em 33º lugar como personalidade mais influente do planeta, numa lista de 100 nomes. Em outra pesquisa da “Revista Newsweek” aparece como o 18º numa lista de 50 mais influentes do mundo. Segundo o Presidente dos Estados Unidos Barack Obama “ele é o cara”.

Como esse menino pobre, órfão de pai vivo, pode chegar tão alto? carisma, garra, determinação, brilho próprio? A verdade é que muitos brasileiros veem em Lula sua história, até mesmo os estrangeiros sentem a força deste homem que venceu tantas batalhas, cujo determinismo foi além do esperado.

Antes Getúlio Vargas era lembrado como pai dos pobres, mas hoje Lula disputa de igual para igual esse título, não só de pai dos pobres, mas de mestre dos mestres: por não ter tido acesso a universidade, Lula propicia a inúmeros pobres, como ele foi, o direito de cursá-la através do projeto ProUni.

Não só na Educação, mas na Economia, Política Fiscal, Tecnologia e diversas outras áreas o Brasil teve um desempenho excelente. Segundo a Revista Exame o Brasil é a bola da vez e desponta no cenário internacional como um dos países que menos sofreu com a crise desencadeada pelos Estados Unidos.

Seu nome está ligado a Classe Trabalhadora como se fosse sinônimo, tal a força com que sua história se confunde com a luta operária.

Trabalho apresentado a disciplina de Filosofia, 2º período, como atividade avaliativa.

Paralelo entre: Mito/Ciência; magia/técnica

Paralelo entre: Mito/Ciência; magia/técnica

Mito
Fonte Imagem: passofirme.wordpress.com

O MITO é o imaginário, o ilusório, como as criaturas do nosso folclore. Serve para tranqüilizar o ser humano em um mundo assustador, cheio de coisas com as quais ele não tem o domínio nem o conhecimento. Recorrem aos deuses para explicar aquilo que eles não conseguem explicação por meio da ciência. O mito é nossa primeira leitura do mundo. O complexo de Édipo que é o desejo inconsciente (mítico) da criança pela mãe, é o desejo humano sendo expressado.

O mito procura explicar os principais acontecimentos da vida, os fenômenos naturais, as origens do Mundo e do Homem por meio de deuses, semi-deuses e heróis (todas elas são criaturas sobrenaturais). O mito é uma primeira tentativa de explicar a realidade.

Muitas personalidades se transformam em mito por servirem de modelo e de realização dos anseios de uma sociedade que os relaciona com os assuntos em questão, uns de forma positiva: Pelé lembra futebol, assim como futebol lembra Pelé, por ter se tornado uma referência, um ícone, um mito da história do futebol. Outros de forma negativa: quando Hitler fez viver o mito da raça ariana, por ele considerada raça pura, o que culminou com o genocídio dos judeus, uma crueldade ímpar na história da humanidade.
Ciência
Fonte da Imagem: andersonyankee.wordpress.com

A CIÊNCIA: É o conhecimento buscado de forma objetiva através do método científico. Baseia-se na indagação da realidade, dos questionamentos, das perguntas e das respostas para determinados assuntos. A ciência desconfia da veracidade de nossas certezas, de nossa adesão imediata às coisas, da ausência de crítica e da falta de curiosidade. A Ciência duvida do senso comum e a pesquisa é o seu instrumento para provar se aquilo é o que parece ser. Para a ciência não há verdades absolutas.

A ciência vai além das aparências, onde vemos fatos e acontecimentos, a atitude científica vê problemas e obstáculos, aparências que precisam ser explicadas e até, por vezes, refutadas. Enquanto o mito faz parte da nossa vida cotidiana, como uma das formas indispensáveis do existir humano, propondo valores puros e impuros. Não se reduzindo a simples mentira ou verdade, cabendo a nossa sabedoria através do exercício da crítica racional exercer um controle, buscando o equilíbrio entre o que é saudável ou prejudicial, para legitimar ou negar os que podem se tornar assustadores, desumanizando a nossa espécie.

A Ciência nos transporta para o que é provado, testado e com isso vai refutando ao longo do tempo nossas culturas e crenças ao nos colocar diante de novas constatações. Ela tem seu lado negro porque muitas vezes ao pesquisar uma determinada coisa descobre outra inesperada, tais como armas atômicas, biológicas etc, que tanta destruição traz para a humanidade. Porém tem seu lado positivo: quando descobre a cura para determinadas doenças, quando cria tecnologias que facilitam nossas vidas.

Tem mais ligação com a Técnica, pois alguns de seus estudos criam novas técnicas que são utilizadas no dia-a-dia do homem e tecnologias que fazem com que a humanidade em si, tenha um desenvolvimento sem precedentes. Exemplo disso é o computador que dele surgiu à grande rede, a internet, capaz de ligar o universo em um piscar de olhos. Nos reportando a Era do Conhecimento. Veloz e fugaz!
MAGIA
Fonte: antropologiadareligiaoufpe.wordpress.com

MAGIA: Segundo seus adeptos, é muitas vezes descrita como uma ciência que estuda todos os aspectos latentes do ser humano e das manifestações da natureza. Trata-se assim de uma forma de encarar a vida sob um aspecto mais elevado e espiritual. Os magos, utilizando-se de atividades místicas e de autoconhecimento, buscam a sabedoria sagrada e a elevação de potencialidades do ser humano. Está mais ligada ao mito do que a técnica.
TÉCNICA
Fonte da Imagem: www.executecomputadores.com 

TÉCNICA: É o procedimento ou o conjunto de procedimentos que têm como objetivo obter um determinado resultado, seja no campo da Ciência, da Tecnologia, das Artes ou em outra atividade.
Estes procedimentos não excluem a criatividade como fator importante da técnica, como os conhecimentos técnicos e a capacidade de improvisação.

A técnica não é privativa do homem, pois também se manifesta na atividade de todo ser vivo e responde a uma necessidade de sobrevivência. No animal, a técnica é característica de cada espécie. No ser humano, a técnica surge de sua relação com o meio e se caracteriza por ser consciente, reflexiva, inventiva e fundamentalmente individual. O indivíduo a aprende e a faz progredir. Só os humanos são capazes de construir, com a imaginação, algo que logo podem concretizar na realidade.

Está mais ligada a ciência do que a magia, pois uma completa a outra, a ciência busca respostas, formas racionais de realização das coisas assim como a técnica também é consciente, reflexiva e busca a forma perfeita de realização das tarefas.

Enquanto a magia procura mostrar o lado místico das coisas, é um tanto difícil relacionar magia com técnica pois estão em campos distintos.

Trabalho apresentado a disciplina de Filosofia, 2º período, como atividade avaliativa.

Atendendo ao pedido de um leitor complementei o artigo:

"Mito da Técnica": "A técnica busca preservar uma aparência de liberdade e de escolha. É um mito. Na verdade, o homem participa da técnica, mas participa como se fosse uma coisa (ELLUL, 1968, p. 221). É a coisificação do homem." 
Essa falsa liberdade se dá, segundo o autor, pela forma que países mais desenvolvidos detêm a técnica e os demais vivem em estado de servidão. 
"A relação entre os países mais poderosos e os menos poderosos é de mera subordinação técnica, que não deixa de ser uma forma de servidão: a indispensável aplicação das técnicas." 
veja mais no link: AQUI

Análise dos provérbios... ideológicos.

Análise dos provérbios... ideológicos.

Muitos provérbios tentam passar mensagens ideológicas sim, porque “em boca fechada não entra mosca” nos induz a aceitar as coisas sem questioná-las. Em “Cada um por si e Deus por Todos” induz ao egoísmo que é um sentimento menor, que desumaniza.

“Cada macaco no seu galho”, induz a individualidade quando o correto seria a integração para que haja a evolução do ser humano.

Na música Chico Buarque quer desmistificar essas ideologias, pois não é dormindo que se resolve o problema da fome... É com comida, com acesso a educação, com acesso ao trabalho para que possamos colocar comida em nossas mesas. Ao induzir a dormir o que se quer é esquecer o motivo pelo qual as pessoas passam fome.



Esperar que as coisas caíssem do céu só se for sentado, porque temos que agir para transformar nossos sonhos em realizações.

Brinque com meu fogo, venha se queimar... Quem brinca com fogo quer se queimar. Nesse caso a música tem conotação sexual.

Aja duas vezes antes de pensar... Como o provérbio aconselha que devagar se vai ao longe e quem espera sempre alcança, deve querer dizer que é preciso agir e não ficar esperando que as coisas aconteçam, estimula o indivíduo a ação que será a forma de conseguir o que ele deseja.

Devagar é que não se vai longe.... Realmente para ir longe é preciso atitude e não vai ser agindo devagar que se consegue.

Eu semeio vento... Em comparação ao provérbio ele quer dizer que semeia vento por que está disposto a colher as tempestades, numa alusão que está disposto a fazer acontecer e esperar o que suas atitudes irão lhe trazer em conseqüência.

Trabalho apresentado a disciplina de filosofia, 2º período, como atividade avaliativa.

Ideologia: mulheres devem permanecer no lar...

Ideologia: mulheres devem permanecer no lar...???

Na verdade é uma idéia machista que visa transformá-la numa pessoa apenas voltada para procriação e criação dos filhos, numa posição submissa ao Estado e a família.
Essa cultura tem sofrido grandes alterações, pois é visível que a mulher é mais que um ser feito para ser mãe, é um ser humano completo e não parte dele e que tem sua necessidade de auto-realização.

Ela pode e deve desempenhar várias funções e estar em áreas antes restritas ao universo masculino, como motorista de caminhão, motorista de trator, piloto de avião etc. É notável que o desempenho feminino por vezes torna-se mais competente do que o dos homens, pela sua característica de se ater aos detalhes e ter uma visão ampla das situações.

Muitas mulheres se destacam nas funções que exercem nas empresas e não deixaram de serem mães e esposas, apenas distribuíram melhor o tempo dedicado a cada uma delas. Por essa “ousadia” pagam um preço muito alto porque gerou um acúmulo de funções o que as sobrecarrega em virtude dessa ideologia que coloca sobre elas toda a responsabilidade de cuidar dos filhos.

Gera também um forte sentimento de culpa, pois veem as funções domésticas como um aprisionamento de sua capacidade intelectual, para algumas uma verdadeira tortura, o que as levam a procurar realizações profissionais e ao tomarem essa atitude vem o peso do sentimento de culpa a delegar a terceiros a educação e criação dos seus filhos.

É a famosa tripla jornada, ou seja, passa às oito horas dedicadas a empresa, depois ao chegar em casa têm as tarefas domésticas lhe esperando e ainda tem que ter tempo para os filhos, marido e para si mesma, pois precisa estar bem cuidada. Inúmeras obrigações e poucos direitos.

Para os filhos o melhor é serem tratados com carinho, respeito e educação. Melhor ter um local agradável e que não comprometa seu desenvolvimento, do que uma mãe em tempo integral, frustrada, estressada e sem a menor qualidade de vida para oferecer. Nesse quesito o que importa é a qualidade do tempo e não a quantidade que ela dedica a eles.

Existem mães que estão presentes de corpo e ausentes de espírito. Nos primeiros meses ou até, se possível, 5 anos é louvável a dedicação não só da mãe, mas da família, de forma intensa porque do nascimento até está idade são momentos decisivos para a gênese de sua futura personalidade.

Segundo Ramiro Sápiras, no livro “A Arte de Viver”, é neste período que são delineadas as principais características psíquicas, a partir da relação da criança com os pais, pessoas próximas, objetos e meio ambiente”.

Muitas escolas já estão se adaptando a essa realidade e oferecem tempo integral para que as mulheres possam deixá-los num ambiente de educação e lazer enquanto se dedicam a profissão, nas outras horas ela cuida deles com amor e carinho, pois estão vivendo o papel delas, e não em função dos filhos que um dia irão ter sua própria trajetória e não poderão resgatar a vida que elas não viveram, as realizações que não tiveram, algo que preencherá suas vidas quando seus filhos não forem mais seus e sim do mundo. Evitando assim a síndrome do ninho vazio, que é quando os filhos saem de casa e a mãe não tem mais a quem se dedicar e sente que perdeu o sentido de suas vidas e, também,  a dependência financeira deles na velhice.

Muitos homens já têm uma visão diferente dessa ideologia e agem como parceiros, dividindo as tarefas domésticas e de criação dos filhos, por perceberem que suas esposas são seres humanos completos, cheio de sonhos e desejos que podem e devem ser estimulados, basta apenas que haja bom senso e que possam viabilizar a execução dessas inúmeras funções de maneira a trazer crescimento e benefícios para toda a família.

Trabalho apresentado a disciplina de Filosofia, no 2º período, como atividade avaliativa.

Todos nós somos resultados de nossas opções ao longo da vida

Todos nós somos resultados de nossas opções ao longo da vida a partir do momento em que nascemos e a cada minuto que se segue. Tudo marcará de forma profunda a trajetória que iremos percorrer. Precisamos, antes de mais nada, pesar bem as atitudes para termos o melhor das nossas vidas.

Estamos fazendo opções ao decidirmos desde as coisas mais simples, como por exemplo: que roupa usar, qual objeto comprar, etc. até as mais complexas: quando casar ou não casar, ter ou não filhos, qual profissão seguir e tantas outras ao longo do tempo.

E são essas escolhas que definirão o norte das nossas vidas. Somos reféns de cada uma delas, porém o lado bom é que podemos mudar a direção quando os ventos não soprarem de acordo com o esperado.

Esta prerrogativa nem sempre é tão fácil, existem inúmeros empecilhos que irão complicar e, então, teremos que usar de nossa garra e determinação se quisermos vencer os ventos contrários, que às vezes transformam-se em furacões.

Esse poder de mudar, de escolher, de re-organizar nossas vidas é chamado pela Bíblia de Livre Arbítrio e cada um de nós poderá usá-lo como melhor nos aprouver, de acordo com nossas convicções e crenças, tentando assim minimizar os efeitos que os erros causam em nossas vidas, afetando o que chamamos de felicidade. Podemos escolher o que plantar, mas a colheita é certa (provérbio chinês), ou seja, os frutos daquilo que plantamos seremos obrigados a colher.

Ao fazermos escolhas estamos renunciando a algo que poderia ser, ou não, melhor para nós. Esse questionamento é feito por milhões de pessoas a cada dia, basta que não estejamos satisfeitos com nossa atuação que paramos para questionar: terá sido aquela a melhor escolha?... “Ser ou não ser, eis a questão”.

Trabalho apresentado a disciplina de Português Instrumental, 1º período, como atividade avaliativa.

Filosofia na administração

A filosofia influenciou o surgimento da administração quando racionalizava os direitos do homem e sua liberdade.

Tendo o poder de alterar padrões de vida social de todos os povos, pela sua influência em todas as áreas e ciências.

Como a administração precisa de regulamentos e normas recorre a filosofia para elaborá-los levando em consideração o ser humano, sua capacidade de superar obstáculos, de buscar na visão de mundo dos envolvidos no processo mecanismos de construção do senso crítico.

Como as organizações passaram a serem vistas no enfoque do pensamento sistêmico, a filosofia contribui para a análise dessas interrelações do ser humano com a empresa e o meio em que ela está inserida.

A administração é uma ciência objetiva, voltada para os direitos constituídos dos indívíduos. Enquanto o homem evoluia economicamene perdendo sua liberdade individual e passando a se comprometer com a liberdade social, era necessário equilibrar esses valores tendo em vista essa nova forma de interação social.

A filosofia é o suporte da administração que antes apenas estava voltada a burocracia e tecnocracia (palavras de origem grega, que estão ligadas a trabalhos exercidos e estado), hoje adota outras medidas para executar os objetivos das organizações, abrindo novas formas de ver o mundo, que tem como primordial exercer o espírito crítico e entender o verdadeiro sentido da vida para diminuir a atenção ao campo material.

Isto significa dizer que a filosofia ajuda a administração a humanizar o trabalho, levando a administração enxergar as organizações e suas complexidades como um todo e também suas partes, e a interação entre elas.

Trabalho apresentado no 2º período à disciplina de Filosofia como atividade avaliativa.

resenha do filme "Nós que aqui estamos por vós esperamos"


O documentário "Nós que aqui estamos por vós esperamos!", http://www.youtube.com/watch?v=Lwl_CdjW3sw, de Marcelo Masagão, produzido em 1998 e exibido no Brasil a partir de 1999, nos traz uma retrospectiva do Século XX, onde a composição das inúmeras imagens apresentadas nos leva a refletir sobre as atitudes, as evoluções tecnológicas e a destruição do homem pelo homem.

Grandes personagens desfilam a nossa frente, muito deles foram cruéis como Hitler, Mussolini, Pol Pot, Pinochet, Mao, Stalin, Médici, se opõem a Ghandi, Picasso, Freud, Lennon, Nijinski, Josephine Baker, Garrincha e Fred Astaire, e tantos outros anônimos que também fizeram parte desse cenário.

A Revolução Industrial chega trazendo enormes transformações: boas e ruins. Produtos de consumo sendo fabricados em larga escala, energia elétrica, telefones, etc porém o homem foi tratado como uma engrenagem a mais, foi robotizado, alienado e até exterminado por crenças e conceitos irracionais.

O instinto destruidor do ser humano pareceu bem arraigado nesse século, como demonstra as imagens: guerras, campos de extermínios e tantas outras. A banalização da morte e a perda da qualidade de vida ficam grifadas com um tom vermelho de sangue, nos envergonhando pela crueldade a que podemos chegar.

Mostra também evoluções, como a independência feminina ao longo do tempo. Apesar de chocar na época, o controle da natalidade foi um avanço que se perpetuou. Queimaram sutiãs para romper com as amarras da sua liberdade. Fumavam, bebiam (não que isso configure uma atitude sensata) apenas como quebra de tabus. Trabalhavam fora, enfim, estavam em situações antes improváveis pela sua condição de mulher. Algumas mulheres destacaram-se, por exemplo, Coco Chanel, um ícone da moda mundial.

A queda do muro de Berlim, a corrida a Serra Pelada, a queda da Bolsa de Nova York trazendo fome, desemprego: CRISE. Diplomas não tinham valor, o que foi representado pela imagem de um engenheiro vendendo maçã na rua, de terno e gravata, para sobreviver.

Seres humanos que trocaram sonhos pela destruição da guerra, ao se casarem às pressas e irem um, ao campo de batalha enquanto a outra produzia munição para alimentá-los.

O mais constrangedor é que as cenas cruéis são todas reais, o que nos dá a visão de um século sangrento. Nesse momento lembrei-me da frase de Al Pacino, no filme "O Advogado do diabo", onde ele interpreta Milto (o diabo) e diz: "Não resta dúvida que o Século XX foi meu, todo meu..."

Espero que o documentário do Século XXI num tempo futuro, outros personagens anônimos como eu, possa ver que aprendemos com os erros do passado e evoluímos em nossos acertos, para que a resenha seja um pouco mais coberta de paz e humanidade.

Trabalho apresentado no primeiro périodo (junho/2009) à disciplina de Metodologia Científica, como atividade avaliativa.

Gostou? Compartilhe!

Pesquisar este blog

Faça uma criança feliz!

Esse cantinho é ainda uma criança e é muito especial, se você gostou deixe seu comentário. Faça essa criança feliz!.

Follow by Email

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Cadastrar desaparecidos